Reuso de água

Com sistemas apropriados, é possível captar, armazenar e reutilizar as águas cinzas e da chuva para diminuir o consumo da água potável.


A crescente preocupação com a disponibilidade mundial da água vem exigindo de todos nós uma nova consciência em relação a utilização desse recurso.

No Brasil faz-se necessário combater a cultura da abundância e deixar de lado o pensamento de que o fato de sermos um dos países mais ricos em água, nos deixará a salvo da escassez global.

A água potável sempre será um bem precioso, por isso, Programas de Uso Racional da Água são realizados por todo o mundo, através de leis, orientações e conscientização da população do quanto esse recurso é essencial para nossa existência e como deve ser consumido com responsabilidade.

Para que você entenda melhor essa complexa discussão acerca do uso consciente de água e da necessidade de medidas preventivas e de racionamento veja as estatísticas que rondam essa questão.

A Terra tem quase 1,5 bilhão de km³ de águas superficiais, sendo que cerca de 60% desse volume estão concentrados em apenas nove países, entre eles o Brasil. Mesmo no Brasil com cerca de 12% da água doce superficial disponível da Terra, há uma distribuição muito desigual no território. Cerca de 80% da água fica na região amazônica, onde vive 5% da população, enquanto que os 20% restantes da água são compartilhados entre os 95% dos brasileiros. (Fonte: CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais).

A estiagem que o Estado de São Paulo vive hoje ou a estiagem entre dezembro e fevereiro passados, a pior em oito décadas, mostrou que essa aparente abundância é uma ilusão. Estamos cada vez mais expostos aos efeitos da intervenção descontrolada e irresponsável do homem à natureza. Seja pelas enchentes, agravadas pelo excesso de ruas asfaltadas e falta de permeabilidade no solo, seja pela falta de água potável.

A escassez de água não é mais uma exclusividade das capitais. A única diferença é que as notícias nos grandes centros tendem a repercutir mais do que em cidades do interior.

É fato. Utilizamos e precisamos cada vez mais de água. E a tendência para os próximos anos é continuarmos aumentando o consumo, devido à demanda e o crescimento populacional acentuado e desordenado, principalmente nos grandes centros urbanos.

Você têm ideia de quanta água é consumida em atividades usuais do nosso dia a dia?

  • Tomar banho por 15 min, com o registro meio aberto, consome 135 litros;
  • Lavar o rosto em 1 min, com a torneira meio aberta, gasta 2,5 litros;
  • Escovar os dentes em 5 min com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros;
  • Fazer a barba em 5 min gasta cerca de 12 litros;
  • Lavar roupa no tanque, com a torneira aberta por 15 min, pode-se gastar 280 litros;
  • Utilizar a lavadora de roupas pode gastar 135 litros;
  • Dar a descarga em bacia sanitária de válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta cerca de 10 litros enquanto que modelos de caixa acoplada e sistema dual de descarga, consomem de 3 a 6 litros;
  • Lavar o carro por 30 min gasta até 560 litros.

Refletindo acerca desses números fica claro que é preciso repensar atitudes, com urgência.

A atual crise de abastecimento de água tende a se estender pelos próximos anos. Assim, será necessário otimizar o uso deste recurso, através de redução do desperdício, mudança de hábitos de consumo e implementação de sistemas de economia, como captação das águas da chuva e reuso de aguas cinzas.

A primeira alternativa dá-se através de sistemas de captação e tratamento relativamente simples das águas pluviais (chuvas) dos telhados, enquanto que "o reuso de águas cinzas", solução mais recente, dá-se a partir do planejamento e execução de redes hidráulicas especializadas para coleta e armazenamento do expurgo (saída) de chuveiros, lavatórios, lavadoras de roupas e tanques.

Como resultado, a água armazenada, devidamente tratada, pode ser reutilizada com segurança e tranquilidade em atividades que não demandam água potável como lavar pisos e carros, irrigar plantas, descarga nas bacias sanitárias e reservatórios de incêndio.

A conjugação dessas soluções, provê em maior escala e com maior eficiência o uso correto da água, possibilitando redução do consumo de água potável e gastos com concessionária de abastecimento.

O Reuso de Águas deve ser visto não só como uma solução inovadora do ponto de vista técnico, mas também como uma excelente solução econômica, social e ambiental.

« Voltar